Post Page Advertisement [Top]

Roteiro: Pacific Coast Highway (Califórnia)


A Pacific Coast Highway é considerada uma das estradas mais bonitas do mundo e, na nossa roadtrip pela Califórnia não a queríamos perder. A melhor desculpa - como se precisássemos de uma - começa por ser o trajecto entre São Francisco e Los Angeles. Se podíamos ter feito pela autoestrada? Podíamos. Mas não tinha nem um décimo da piada e as paisagens seriam muito mais enfadonhas. 
Com isto, reservámos dois dias da nossa viagem para irmos de São Francisco a Venice Beach através da Pacific Coast Highway. Convém dizer-vos que o nosso objectivo neste trajecto não foi conhecer cada uma das terras por onde passámos (isso levaria muito mais tempo) mas sim desfrutar da paisagem e, no fim, chegar a Los Angeles. Previamente, marcámos alguns sítios onde queríamos obrigatoriamente parar (há coisas que são mesmo imperdíveis) e deixámos o resto para o sabor da viagem decidir.


Saímos de São Francisco quase de madrugada, vimos a Golden Gate Bridge sem nevoeiro (um milagre!) e seguimos, estrada abaixo. Ainda não contávamos com muitas dezenas de minutos na viagem quando parámos para a primeira fotografia.


Primeira paragem oficial: Half Moon Bay. Para sermos mais precisos, o primeiro ponto de paragem foi Pillar Point Harbor, onde estacionámos o carro. Depois, fizemos o trilho até Mavericks Beach, a famosa praia das boas ondas. Curiosamente, a maré estava baixa e o mar estava, na gíria do surf, flat



Cerca de meia hora depois, estávamos em Pigeon Point Light Station State Park, junto ao farol (Pigeon Point Lighthouse). Foi aqui que voltámos, finalmente, a ver o sol, ainda que muito tímido. O farol, esse, estava demasiado encoberto para a fotogenia das fotos que tínhamos visto enquanto preparávamos a viagem. 
Esta paragem vale a pena não só pelo farol como também pela extensa praia de areia clara. Não é tão bonita como o nosso Guincho (perdoem-me os nacionalismos!) mas não lhe fica muito atrás. Aliás, podemos dizer que as paisagens nesta estrada se assemelham, muitas vezes, à costa portuguesa na zona de Cascais.



A paragem seguinte é a rainha do surf e do skate na Costa Oeste. Chama-se Santa Cruz e podemos garantir, é cheia de pinta. Parámos primeiro na praia, na zona do Santa Cruz Wharf onde, apesar da chuva, havia bastantes resistentes a (tentar) aproveitar o dia de praia.



Não podíamos sair de Santa Cruz sem entrar no seu famoso Boardwalk, um enorme parque de diversões com carrosséis, montanhas russas, jogos de sorte e muitas roulotes de comida. Até oreos panadas há, a oferta é mesmo para todos os gostos...




Se não quiserem entrar no parque de diversões, a rua paralela tem uma série de lojas de marcas de surf e marcas locais também, com produtos bem giros. 

Quando chegámos a Monterey era já hora de almoço e nós estávamos esfomeados. Por isso, a primeira coisa que fizemos foi parar num restaurante que nos chamou à atenção: Gianni's Pizza. Estamos no país dos hambúrgueres e das pizzas, todo o fast food, mas esta era realmente muito boa. 
De Monterey, cheia de turismo, não vimos muito mais do que a zona costeira.



A paragem seguinte foi, quiçá, a que mais nos roubou o coração. Carmel-by-the-Sea é uma "pequena" vila costeira com casas em madeira (ainda sonho com a casa azul com o terraço branco por onde passámos), areia muito branca e um mar azul a perder de vista. E a vista, essa, é lin-da! 



E é aqui que começa a zona conhecida como Big Sur, com as paisagens mais inesquecíveis. Quando fizemos esta viagem, em Junho de 2018, o continente Americano tinha sido fustigado com enormes tempestades (já tínhamos visto as consequências com os nossos próprios olhos em Cuba, em Dezembro de 2017) e uma das partes afectadas foi, exactamente, o Big Sur. Quando comprámos os voos, era esperado que toda a zona já estivesse reaberta ao trânsito na altura da viagem, mas isso não aconteceu. Felizmente, a parte em que mais tínhamos interesse foi reaberta a tempo. Quanto ao resto, já lá iremos...



Aqui, o mar torna-se mais azul, a costa torna-se mais acidentada, o verde cobre tudo a perder de vista. Flores amarelas e lilases vão salpicando a paisagem e dando um toque especial. É, realmente, um passeio muito cénico. Percebemos perfeitamente porque a consideram uma das estradas mais bonitas do mundo...

Parámos em Rocky Point e no Miradouro Notleys Landing, os primeiros pontos de onde avistámos as famosas pontes. O vento não ajudou, mas finalmente havia sol e queríamos aproveitar para absorver aquela paisagem.


Viram a ponte na paisagem? Muitas pessoas, ao percorrer a estrada no sentido Norte - Sul, são confundidas, mas esta ainda não é a famosa Bixby Bridge. Se, ao início, também ficámos com dúvidas, percebemos pela altura que não poderia ser. A Bixby Bridge é muito mais alta, mas são ambas construções semelhantes. Esta chama-se Rocky Creek Bridge e foi construída em 1932. Antes de entrarmos na ponte existe um pequeno parque de estacionamento com miradouro, de onde podem aproveitar para observar não só a ponte como também a paisagem à vossa direita:



E, depois, finalmente, a Bixby Creek Bridge. É tão bonita, tão alta e tão fotogénica como a imaginávamos. Aqui, aproveitámos não só o miradouro como também o pequeno trilho que existe nas "traseiras" da ponte para a ver de várias perspectivas.



Num novo miradouro na berma da estrada, sem nome, esta é a vista que temos:


Quase quarenta quilómetros à frente, encontramos as famosas McWay Falls. A cascata, vista da estrada, cai directamente para uma praia deserta (não nos pareceu acessível) com águas cristalinas. Este ponto pode passar-vos completamente despercebido, porque não há propriamente um miradouro. Lembro-me de estarmos, com mais duas pessoas, pendurados em cercas para conseguirmos ver a totalidade da praia.


Depois de mais uns quilómetros, chegámos a Lucia. Era aqui que o Google Maps nos sugeria um percurso alternativo para prosseguirmos viagem e retornarmos à Pacific Coast Highway mais à frente, contornando a parte da estrada que estava intransitável. 



Estranhámos o caminho e, felizmente, parámos numa estalagem (o único edifício que vimos) e perguntámos o que fazer. Fomos totalmente desaconselhados a fazer o percurso que o mapa sugeria e a única opção foi... voltar para trás.

Fizemos, por isso, todo o percurso até Carmel-by-the-Sea em sentido contrário e apanhámos a autoestrada até Lompoc, onde tínhamos reservado um hotel para dormir. Foi, talvez, dos momentos mais stressantes da viagem. O Google Maps dizia-nos que iríamos chegar pelas 23h15, a recepção do hotel fechava às 23h00 e numa autoestrada pejada de operações stop, era impossível ganhar tempo não cumprindo o limite de velocidade. Felizmente, conseguimos chegar às 22h50, com mais quatro horas de caminho seguido "nas costas" e sem sequer parar para comer...

Acordámos com a energia recuperada no Hotel Inn at Highway 1, em Lompoc, e seguimos viagem até Santa Bárbara, o primeiro ponto que tínhamos marcado para o segundo dia do trajecto.
Aqui, as praias já não têm a areia branca a que nos habituámos no dia anterior, mas o contraste com o tom da água torna-se ainda mais bonito. Passeámos um bocado na patriótica Santa Bárbara e desfrutámos dos largos passeios, das montras cuidadas e dos cafés cheios de estilo. Esta é uma cidade que nos vemos a explorar durante mais tempo, gostámos muito do pouco que vimos!





Não podíamos sair de Santa Bárbara sem parar no famoso Stearns Wharf. É o maior entre São Francisco e Los Angeles e é também uma das imagens mais icónicas da zona. Aproveitámos para passear e para comer o típico fudge.




Depois, parámos na elegante Malibu, que estamos habituados a ver nos programas americanos. E, se querem que vos diga, não conseguimos definir muito bem Malibu. É uma zona linda, com praias espectaculares, casas a poucos metros do mar (assustador), enormes casarões nas encostas e restaurantes mais selectos. Mas é difícil abstrairmo-nos da quantidade de botox e silicone que nos rodeia. Para vos dar um exemplo, almoçámos no famoso Malibu Country Mart, num quiosque de opções saudáveis. Tudo à nossa volta nos fazia crer que estávamos em pleno set de filmagens de um reality show ao estilo Keeping Up With the Kardashians. Os preços nas lojas eram completamente proibitivos. Os cães eram passeados em carrinhos de passeio semelhantes aos de qualquer bebé...


Talvez tenhamos gostado mais da visita ao Malibu Pier, com uma vista incrível para a praia e um espaço de refeições com muito bom aspecto (acabámos por nos arrepender de não ter comido ali). 



Depois de Malibu, esperava-nos a chegada a Los Angeles. Apesar do contratempo do primeiro dia do percurso, conseguimos chegar a Venice Beach logo após a hora de almoço e tivemos tempo para conhecer a zona e ainda fazer um mini-roteiro com os locais mais icónicos de Californication, uma série de que ambos gostamos muito. 

Let's Run Away?

Bottom Ad [Post Page]