Post Page Advertisement [Top]

Roteiro: Percurso Apple em Cupertino


Enquanto estivemos em São Francisco, dedicámos uma manhã a explorar o sítio onde nasceu a Apple: Cupertino. Ou melhor, a explorar em Cupertino os locais que ficaram famosos por contribuírem para a história desta marca.
Se nos seguem atentamente, sabem que o João é completamente vidrado na Apple. Talvez, por isso, este roteiro devesse ter sido escrito por ele. Mas assim conseguem uma opinião mais objectiva sobre o passeio (ou não, já que eu sou ferrenha da Samsung)...

Estávamos a definir os nossos roteiros para cada uma das cidades, com a ajuda do Sygic Travel, quando comecei a ver que "alguém" tinha adicionado alguns pontos fora de São Francisco. Não percebi o motivo, até começar a ver cada um deles. E foi aí que percebi que iria ter que dar o braço a torcer e passar algum tempo a viver a emoção dele por fazer um verdadeiro roteiro Apple.

A primeira paragem foi mesmo no local dos primórdios da Apple Computers, em Los Altos. Falo-vos da garagem de Steve Jobs, onde terá criado o primeiro computador da Apple. 
Trata-se de uma típica casa de habitação, ao estilo americano, com uma garagem adjacente. Nos jardins, há avisos de que não é possível passar o limite do passeio, pois trata-se de propriedade privada e, na realidade, trata-se da casa de alguém.



Depois, fomos ao Apple Campus, mais conhecido como Infinite Loop (o nome da rua). Aqui esteve alojada a sede oficial da Apple desde 1993 até 2017, altura em que foi oficialmente substituída por outro edifício (já lá iremos...). 
Este foi o edifício-mãe, o primeiro de todos, mas tudo à sua volta é também Apple. São quarteirões e quarteirões de edifícios dedicados à Apple e adaptados à sua imagem. Só nestes edifícios, a empresa ocupa qualquer coisa como 13 hectares. É impressionante!


Não é possível visitar o edifício por dentro (o João bem tentou entrar, mas...), apenas a Loja Apple que existe no piso inferior. E, para quem é um verdadeiro fã da marca, é aqui que começa a perdição. Apesar de aparentemente esta ser uma loja normal, tem uma série de produtos exclusivos que não se encontram à venda em nenhum outro ponto Apple. Por exemplo, t-shirts, canecas, capas para iPhone e iPad e braceletes para o Apple Watch (e agora merecia uma prenda de melhor namorada por saber enumerar todos os produtos!)
Para quem, como eu, não é fã... há óptimo wi-fi gratuito e bancos confortáveis!


O roteiro não estaria completo sem visitarmos o Apple Park, a nova sede Apple. O edifício é circular, lembrando os famosos botões redondos da marca - foi com esse objectivo que foi construído. Segundo uma das colaboradoras da loja no Infinite Loop, é uma experiência brutal, com um miradouro incrível e uma loja magnífica. Segundo a minha pessoa, é giro. 
Na verdade, o Apple Park não é visitável. É um recinto fechado rodeado de fortes medidas de segurança, árvores e arbustos enormes para garantir a privacidade de quem lá trabalha. Para os curiosos, como nós, há a Loja Apple Park, do outro lado da estrada. Aí, sim, é possível ver o telhado do edifício pelo miradouro (as árvores não deixam ver muito mais), participar numa experiência de realidade aumentada com uma maquete do Apple Park ou tomar um café. O que me deixou mais entusiasmada foram mesmo os diversos workshops que são disponibilizados gratuitamente, nos mais variados temas ligados à utilização dos gadgets da marca: fotografia, vídeo, edição, etc. Também aqui há edições limitadas de produtos Apple e o João não resistiu a trazer uma t-shirt.



Para sermos sinceros, nós entrámos no Apple Park... porque nos enganámos no caminho! Ahahahah
Explicando: encostei na via da direita sem me aperceber que esta obrigava a virar à direita. Quando vi que o virar à direita era exclusivo a funcionários autorizados Apple já era tarde demais e acabámos na entrada da garagem do Apple Park, com o segurança a gozar connosco e a dizer que teríamos de pagar para sair dali. Como a via era de sentido único, não havia a possibilidade de dar a volta e, por isso... abriram-nos os portões do Apple Park e tivemos que entrar no recinto, para depois sair no portão seguinte. Verdade, verdadinha! Sou ou não sou a melhor namorada do mundo?


Para quem é fã da Apple e está pela área, este percurso é imperdível. Pelo menos, avaliando pelo entusiasmo com que o João o viveu. Para quem não é fã, mas se interessa por estes temas - como eu - também não é uma seca e a visita à loja do Apple Park acaba por ser uma agradável experiência (até porque não temos a tentação de gastar dinheiro!). Uma manhã é suficiente para visitar estes pontos e podem sempre terminar com o almoço num dos restaurantes da área. Vão perceber ainda melhor como a "comunidade Apple" é enorme e domina aquela zona.

Let's Run Away?

Bottom Ad [Post Page]